Polícia de SP põe inteligência para investigar sumiço de metralhadoras do Exército

Exército

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) anunciou que acionou o programa Muralha Paulista em resposta ao misterioso desaparecimento de 21 metralhadoras do Arsenal de Guerra de Barueri, na região metropolitana de São Paulo.

A descoberta do sumiço ocorreu durante uma inspeção realizada na última semana e desde então, o Exército brasileiro assumiu a responsabilidade pela investigação do caso.

O programa Muralha Paulista é uma iniciativa que unifica centrais de inteligência e bases de dados das polícias em 643 cidades do Estado de São Paulo.

Isso permite que câmeras e radares se interliguem, facilitando a detecção e investigação de qualquer movimentação suspeita relacionada ao desaparecimento do armamento.

Além disso, a SSP informou que está analisando registros digitais de veículos e pessoas nas vias próximas e de acesso ao local do crime.

A intenção é identificar qualquer anormalidade de interesse policial que possa estar relacionada ao desaparecimento das metralhadoras.

O Exército, por sua vez, mantém 480 militares aquartelados para conduzir a investigação do sumiço das armas de fogo.

Eles não estão autorizados a sair até que todos tenham sido ouvidos, a fim de identificar dados e informações relevantes que possam levar às pessoas responsáveis pelo furto.